Resumo da Semana: Dívida dos planos de saúde com o SUS

Vem aí mais um pente-fino do INSS. Como se preparar, caso seja convocado. Leia atentamente quais são os documentos solicitados pelo INSS. Reúna todos antes de realizar sua defesa, atentando para não faltar nenhum.

Se o seu caso for benefício por incapacidade, é preciso reunir todos os atestados, receitas e exames atualizados para comprovar que está, de fato, incapaz para o trabalho.

Mas, atenção: O pente-fino nos benefícios do INSS vai começar pelos mais jovens e que estejam recebendo auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez há mais tempo.

No site da RIAAM-Minas você tem mais dicas e orientação para como apresentar os documentos pela internet.

Novo calendário da Prova de Vida

O INSS divulgou novo calendário para segurados fazerem a prova de vida e não terem os benefícios suspensos. O calendário novo inclui os meses de janeiro a agosto de 2022 para quem tem que fazer a comprovação entre maio de 2021 e julho de 2022.

Veja o calendário e atenção para ter nenhum pagamento bloqueado.

As datas estão no site da RIAAM-Minas.

Dívidas dos planos de saúde com o SUS

Os planos privados de saúde devem cerca de R$ 2,9 bilhões ao SUS – o Sistema Único de Saúde. O valor é suficiente para comprar um estoque gigantesco de vacinas contra a Covid-19.

As informações são da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável por fiscalizar o setor e cobrar o pagamento.

Com os R$ 2,9 bilhões da dívida total, daria para comprar ao menos 58 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.  O que seria suficiente para imunizar 29 milhões de pessoas. Reportagem foi divulgada pelo “Repórter Brasil”.

Leia mais aqui

Vacinação contra a Influenza e contra a Covid-19

O Ministério da Saúde informou que a vacinação contra a influenza, o vírus da gripe, já está aberta para toda a população do país com mais de seis meses de idade. Cada estado e município determina como será o atendimento.

Mas, atenção: É necessário dar um intervalo mínimo de 14 dias entre a dose da vacina da Covid-19 e a da influenza. Como as duas campanhas estão ocorrendo ao mesmo tempo, a orientação do Ministério da Saúde é que, nos grupos prioritários, a dose contra a Covid-19 seja feita antes.

E os índices melhoraram: Levantamento junto a secretarias de Saúde aponta que mais de 80 milhões de pessoas tomaram a primeira dose e cerca de 28 milhões a segunda. Mais de 1 milhão e meio tomaram a dose única, num total de mais de 109 milhões de doses aplicadas. Estes números são da última quarta-feira, dia 7.

Clique e ouça o Resumo da Semana


Veja também na RIAAM-Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *