Persiste a violência contra os idosos

7 de fevereiro de 2020 | Atualidades - Saúde e comportamento | Por riaambrasil | Um comentário

Uso e abusos de idosos é um problema de saúde pública e social

violencia_contra_idosos_problema_social
Menor qualidade de vida e prejuízos à diginidade (Imagem: Pixabay)

O abuso e abuso de idosos é um problema de saúde pública e social que diminui a qualidade de vida e prejudica a dignidade das vítimas. Isto foi afirmado pela Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) através de um comunicado de imprensa .

No México, existem 12,96 milhões de idosos expostos a violações de seus direitos fundamentais devido a abusos e abusos.

Esse número de pessoas representa 10,5% da população mexicana, os limões enfrentam obstáculos para acessar os mercados de trabalho, financeiro, bens e serviços, além de integrar mudanças na estrutura familiar.

Crimes que não são vistos nem registrados

Da mesma forma, a agência de defesa dos direitos humanos afirmou que os abusos e maus-tratos a idosos são crimes que não são denunciados devido a vários fatores, como o vínculo entre a vítima e o agressor, a dependência econômica e física e a violência. falta de acesso à justiça.

Dados do próprio CNDH indicam que, entre janeiro de 2014 e fevereiro de 2016, foram registradas 34.200 queixas relacionadas a crimes contra idosos:


  • 16% para violência familiar.
  • Outros 8% por lesões.
  • 5% para ameaças.
  • 4% para homicídios.



Em mais da metade desses casos (57%), o arquivo de investigação foi iniciado por crimes de propriedade.

Além disso, houve também casos de violência sexual, privação ilegal de liberdade, abandono, tráfico de pessoas, discriminação e exploração e omissão de cuidados.

‘O inimigo está dentro de casa’

Para o CNDH, a maioria dos agressores faz parte do círculo mais próximo dos idosos, por exemplo, filhos, netos, cônjuge, cuidadores, entre outros.

Portanto, este órgão nacional enfatiza a necessidade de profissionalizar e fortalecer a supervisão de centros de assistência social, abrigos públicos e privados, a fim de garantir a segurança dos usuários.

Observou-se também que os idosos membros da comunidade LBGTTTI enfrentam fortes preconceitos e estigmas que estão indevidamente associados à sua idade: são pessoas que ao longo de suas vidas foram sujeitas a discriminação e, durante a velhice, enfrentaram um alto risco de exclusão social, violência, pobreza, doenças crônicas e até mesmo morte prematura.


(* Com informações do site ‘La Cuéstion Social en México – Original em espanhol


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*