Perda em relação ao mínimo chega a 86%

Perdas se acumulam desde o Plano Real

Estudo de entidade de defesa dos aposentados revela que as perdas salariais de aposentados e pensionistas do INSS chegarão a 86,38% – somente no período entre setembro de 1994 e janeiro de 2019.

Este valor leva em conta o anunciado reajuste de 3,3% para os benefícios acima do salário mínimo para ano que vem e já previsto no orçamento.

Para chegar a esta perda, a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) utiliza os reajustes anuais do salário mínimo e a correção dos benefícios pagos pelo INSS para aposentados e pensionistas que gaham acima do piso mínimo nacional.

Salário acima da inflação aumentou perdas

De acordo com o estudo da Cobap, as perdas dos aposentados foram maiores durante os mandatos do presidente Lula, com um acumulado de 43,16%, por conta dos aumentos maiores que foram dados ao salário mínimo, com ganho real (reajuste acima da inflação) para os trabalhadores em atividade.

Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, as perdas foram menores, totalizando 26,60%. Já no governo Dilma, a diferença entre os reajustes foi a menor já registrada. Em comparação com o piso nacional, os aposentados e pensionistas do INSS perderam 15,67%.

(* Com informações do jornal ‘Extra’ – Clique Aqui e leia mais)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.