Maioria dos reeleitos na Câmara foi contra reformas

plenario_congresso
O plenário do Congresso: renovação

 

Dos 251 deputados federais que foram reeleitos este ano, menos da metade foi totalmente favorável às reformas econômicas aprovadas pelo governo de Michel Temer, aponta levantamento divulgado pela Agência Estado.

Estes números sinalizam que o próximo governo vai ter de dialogar muito com os novos parlamentares.

Entre os 251 reeleitos, apenas 108 disseram sim às duas reformas econômicas aprovadas pelo governo Temer – a PEC do Teto de Gastos e a proposta de reforma trabalhista. Por outro lado, 65 dos que se reelegeram foram contrários às duas propostas.

Individualmente, a PEC do Teto, uma das primeiras medidas de impacto do então recém-empossado governo Temer, recebeu apoio de 144 parlamentares que conseguiram se reeleger no último fim de semana, ao passo que 72 disseram não e 34 não votaram.

Já a reforma trabalhista, aprovada no fim do ano passado sob um ambiente bem mais difícil – o emedebista havia acabado de sobreviver a segunda denúncia encaminhada ao Congresso pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot -, recebeu apoio menor: 120 disseram sim, 90 desaprovaram e outros 40 não votaram.

Renovação no Congresso foi o maior em 20 anos

Conforme dados da Câmara, o índice de renovação na eleição foi de 47,3%, o maior da casa nos últimos 20 anos.

Nas eleições de 2002 a 2014, esse índice foi, na média, de 37,5%.

Até então, a eleição com maior número de novos rostos havia sido a de 2014, com 39% de renovação.

As reformas devem estar nos primeiros debates da próxima legislatura e pode haver mudanças nos projetos atuais, principalmente no da Previdência.

Parlamentares influentes do agora mais poderoso PSL não concordam com o projeto do governo Temer.

 

(* Com informações da Agência Estado e do Portal Terra – Clique AQUI e leia mais)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *