Idosos: sem aposentadoria, sem emprego

9 de dezembro de 2019 | Reforma da Previdência | Por riaambrasil | Um comentário

Reformas pregam aposentadoria mais tarde, mas não planejam trabalho para idosos

idosos_mais_tempo_no_mercado_de_trabalho_
Pessoas vão trabalhar por mais tempo e se adaptarem (Imagem: Pixabay)

O envelhecimento da população confronta os governos ocidentais a esticar os limites de idade mínima para a aposentadoria. Em geral, o estopim para a realização de reformas na Previdência é uma crise econômica, como no Brasil. Mas em que condições os idosos estão sendo levados a trabalhar por mais tempo? Na prática, como concretizar esse objetivo?

Do ponto de vista econômico, a mudança parece fundamental para encarar o aumento da longevidade sem aniquilar os cofres públicos. A França debate atualmente a elevação da idade mínima para se aposentar, que pode passar de 62 para 63 ou até 64,5 anos.

No entanto, quais as alternativas de trabalho para quem perdeu o emprego aos 55 anos e precisa continuar a trabalhar por mais oito? As opções no mercado são adaptadas a um idoso, por mais elástica que essa definição seja hoje?

Aposentadoria deve ser planejada

O médico especialista em envelhecimento Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil, indica que a preparação para o trabalho por mais tempo deve ser pensada ao longo de toda a carreira.

“Você precisa investir em lifelong learning, ou seja, que essas pessoas sejam atraentes para o mercado de trabalho. Eu não vejo isso acontecer, nem na Europa”, frisa Kalache, que por 13 anos foi diretor do programa Envelhecimento e Saúde da OMS (Organização Mundial da Saúde). “Nós continuamos com muito preconceito em relação ao idoso, como se ele não pudesse mais contribuir para a sociedade e não pudesse aprender novas habilidades.”

“Nós continuamos com muito preconceito em relação ao idoso, como se ele não pudesse mais contribuir para a sociedade e não pudesse aprender novas habilidades”

Metade das empresas não prevê nada para funcionários mais velhos

As estatísticas alertam há anos para o envelhecimento da população, em especial nos países desenvolvidos. Até 2050, 49 milhões de pessoas não estarão mais aptas a trabalhar na União Europeia, segundo a Fundação Robert Schumann. Ainda assim, um estudo da consultoria Deloitte, publicado em 2018, indicou que mais da metade de 11 mil empresas analisadas no mundo não havia qualquer plano para os funcionários com mais de 55 anos.


(* Por Lúcia Muzell – da Rádio França Internacional (RFI) – Texto na íntegra com áudio – no link abaixo)

http://www.rfi.fr/br/economia/20191127-reformas-pregam-aposentadoria-mais-tarde-mas-n%C3%A3o-planejam-trabalho-para-idosos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*