Chile aumenta aposentadorias

25 de novembro de 2019 | Reforma da Previdência | Por riaambrasil | Um comentário

Congresso do Chile fecha acordo para aumentar aposentadoria em até 50%.
Além do reajuste na aposentadoria, acordo do Congresso prevê a redução da tarifa do transporte público

Chile_aumenta_aposentadoria
Reprodução de foto durante os manifestos: “Não somos invisíveis”

O Congresso chileno chegou a um acordo para aumentar em até 50% a aposentadoria básica e reduzir na mesma proporção a tarifa de transporte público para aposentados, como parte da agenda social destinada a fazer frente aos protestos sociais.

As informações são da Agência France Press – AFP

Chamado “Marco de entendimento social”, o acordo contempla um aumento das aposentadorias mínimas em 50% a partir de janeiro de 2020 para maiores de 80 anos, com uma alta de 110.210 pesos para 165.000 pesos (de 130 a 207 dólares).

Para quem tem entre 75 e 79 anos, o aumento será de 30% e, em janeiro de 2022, vai-se alcançar uma alta de 50% para o total dos beneficiários, cerca de 1,6 milhão de pessoas.

Para quem tem entre 75 e 79 anos, o aumento será de 30% e, em janeiro de 2022, vai-se alcançar uma alta de 50% para o total dos beneficiários, cerca de 1,6 milhão de pessoas.

O convênio compromete também uma redução de 50% da tarifa normal do transporte público para maiores de 65 anos, junto com uma redução no valor dos medicamentos. Este gasto absorve grande parte do orçamento das famílias no Chile, onde os preços dos originais alcançam seu maior valor na América Latina.

Aposentadorias baixíssimas levaram a protestos

As aposentadorias baixíssimas recebidas pela maioria dos chilenos é uma das principais queixas sociais no país, que ganharam corpo no último mês para exigir uma reforma profunda do sistema privado – uma herança da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

Marcadas por confrontos violentos com a polícia, saques e ataques ao metrô, as manifestações começaram em 18 de outubro e deixaram 22 mortos, mais de 2.000 feridos, entre eles, cerca de 200 com lesões oculares graves após serem alvos de tiros da polícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*